PSB rompe ‘em definitivo’ com o governo

    às: 13:59 , atualizado em 04 de março às: 13:59
    105
    0
    Da Redação
    psb
    PSB: partido de Eduardo Campos pula fora

     

    O vazamento da delação do senador Delcídio do Amaral, na quinta (3), e a operação da Polícia Federal que atingiu o ex-presidente Lula, nesta sexta (4), levaram o PSB a romper “em definitivo” com o governo Dilma.

    Em nota oficial divulga no início da tarde, a direção nacional do Partido Socialista Brasileiro, que sempre apoiou os governo do PT desde a primeira eleição de Lula, em 2002, informou que irá para a oposição.

    Leia a íntegra da nota, assinada por Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB:

    O Brasil convive nos últimos anos com uma das piores crises do período republicano, visto que se somam aspectos políticos, econômicos, federativos e, sobretudo, éticos.

    Desde a sua eleição, o que vemos é que o governo da  presidente Dilma Rousseff perdeu a credibilidade e a capacidade de governar, impondo graves conseqüências para o nosso povo, que desde então sofre com a recessão, a carestia, o desemprego – uma crise social que deve ser solucionada por um governo legítimo.

    O Partido Socialista Brasileiro tem se pautado pelo equilíbrio e pela determinação de defender as pautas do desenvolvimento nacional e dos interesses populares.

    Entretanto, os acontecimentos dos últimos meses evidenciam um quadro de deterioração ética que foge à normalidade e que leva o PSB a reafirmar a postura crítica em relação ao governo federal e marchar em definitivo para a oposição a este governo, posicionamento que deverá ser convalidado pela Executiva Nacional.

    O funcionamento das instituições de Estado – Poder Judiciário, Ministério Público e Polícia Federal – deve ser respeitado em uma democracia, de modo que ninguém possa ser sacralizado e, menos ainda, vitimado simplesmente por responder a acusações que pesem contra ele, independentemente do cargo que ocupa ou que ocupou.

    Em uma democracia madura, ninguém se surpreende com ações dessa natureza por órgãos de Estado.

    Este é um momento extremamente desafiador para todas as forças políticas do país, mas especialmente para aquelas que como nós, socialistas, querem renovar a política e contribuir para a superação deste grave momento de nossa história.

    SEM COMENTÁRIOS