Prefeitura liga semáforos do Corredor e transfere feira

às: 20:11 , atualizado em 21 de setembro às: 20:47
220
0
corredor-jair malavazi
Atílio Pereira (centro), secretário de Transportes, concordou em tirar os cavaletes do Corredor até o dia 19

A Prefeitura de Guarulhos concordou em ligar novos semáforos e em tirar a feira livre da Rua Quitandinha, na Vila Galvão, e removerá até o dia 19 os cavaletes que bloqueiam o Corredor Metropolitano de Ônibus.

A reunião do último dia 11, na Secretaria de Transportes e Trânsito de Guarulhos (STT), selou um aparente armistício entre a Prefeitura e a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU).

O secretário Atílio Pereira disse ao presidente da EMTU, Joaquim Lopes, que os novos semáforos que estavam faltando serão instalados até o dia 19, especialmente no acesso à Avenida Paulo Faccini.

Já no caso da feira da Quitandinha, o secretário ainda não definiu a nova rua para onde ela será transferida, e nem se deixará o atual local até o dia 19. A feira é hoje um dos principais obstáculos ao trajeto dos ônibus.

Tanto os semáforos quanto a mudança da feira vinham sendo cobrados havia vários meses pela EMTU.

A empresa estadual, por sua vez, segundo a Prefeitura, concordou em estudar o uso da faixa exclusiva do Corredor também pelas linhas municipais de ônibus.

ENERGIA

A EMTU já tinha tomado a iniciativa de contratar, junto à concessionária de energia EDP Bandeirante, a instalação de 24 postes de luz no trecho entre as paradas São Roque e Padre Celestino.

A falta de luz nessas paradas foi um dos argumentos da Prefeitura para tentar bloquear os ônibus, na semana passada.

Os postes  -cuja instalação também seria tarefa da Prefeitura – foram arcados pela própria EMTU, devido ao impasse com a Bandeirante, por falta de pagamento da iluminação pública.

A Prefeitura também reconheceu que já há 95 ônibus com porta lateral esquerda nas 47 linhas intermunicipais em circulação no Corredor. Mas pediu que, até o dia 19, aquele número chegue a 130 veículos.

A empresa estadual concordou em antecipar seu cronograma. A suposta falta de ônibus com porta à esquerda era outro dos motivos citados pela Prefeitura para instalar os cavaletes, alegando riscos aos passageiros.

Prefeitura e governo do Estado também combinaram que tomarão medidas conjuntas para evitar o roubo de fios e equipamentos das instalações do Corredor. A EMTU já registrou 11 boletins de ocorrência nos últimos meses.

Outras temas mencionados pela Prefeitura, como as fissuras no asfalto e a ciclovia, não foram discutidos na reunião.

ACUSAÇÕES

O novo trecho do Corredor tinha sido inaugurado pelo governador Geraldo Alckmin no último dia 31.

No dia 8 de setembro, porém, a STT instalou cavaletes e fitas em cinco pontos do trajeto, alegando falta de segurança e dizendo que a obra não tinha sido concluída.

O trecho, que já estava praticamente pronto desde fevereiro, chegou a ser embargada pela Prefeitura no dia 18 de maio, em meio a acusações recíprocas de que as partes não concluíram o combinado.

O trecho Cecap-Vila Galvão faz parte do Corredor Metropolitano Guarulhos-São Paulo, que liga o Terminal Taboão ao Metrô Tucuruvi.

SEM COMENTÁRIOS