Petistas se declaram ‘jararacas’ e manipulam o Dia 8 de Março

    às: 11:48 , atualizado em 31 de julho às: 15:02
    251
    0
    Da Redação
    jararacas
    Petistas convocam suas “jararacas” para protestar contra a Lava Jato no dia Dia da Mulher

    As mulheres do PT paulista se declararam “jararacas” e foram às ruas neste 8 de março para transformar o histórico dia de luta pela emancipação feminina num ato de apoio ao ex-presidente Lula.

    Na Avenida Paulista, a manipulação do Dia da Mulher, que virou um protesto contra as investigações da Operação Lava Jato, ficou clara quando uma mulher tentou defender o fim do governo de Dilma Rousseff e quase foi agredida.

    No ABC, em Guarulhos e Osasco, cidades controladas pelo partido, os diretórios locais convocaram suas militantes para se concentrar no Masp, na Avenida Paulista, com uma pauta partidária e direito a ônibus fretado.

    A manobra para transformar o Dia da Mulher num ato de apoio a Lula partiu da própria direção estadual do partido.

    Na convocatória do ato na Paulista, a Secretaria de Mulheres do PT-SP publicou uma imagem na página do Facebook do partido com os dizeres: “Agora, somos todas jararacas”.

    A imagem mostra, do lado esquerdo, a silhueta de uma mulher negra e, à direita, a cabeça de uma ameaçadora jararaca de boca aberta.

    As petistas se declararam jararacas depois que o próprio ex-presidente Lula, no dia 4, se comparou a essa espécie de víbora traiçoeira e peçonhenta, cujo veneno causa necrose do membro atingido e até a morte.

    Em Guarulhos, a Secretaria de Mulheres do PT municipal, publicou um texto no qual tenta associar a luta pela emancipação feminina à defesa do PT e do ex-presidente investigado pela Lava Jato.

    Depois de mencionar as mulheres “que encontraram na luta armada uma possível saída para combater a ditadura militar no Brasil”, o texto do Coletivo Beth Lobo reclama que “hoje o golpe tenta nos sufocar” e conclui: “Estamos em luta ao lado do companheiro Lula!”

    No ABC, a edição de 8 de março do jornal petista “ABCD Maior”, ligado ao prefeito de São Bernardo Luís Marinho, publicou textos nos quais a luta pelos direitos das mulheres se confunde com a defesa do ex-presidente.

    O jornal cita uma declaração de Flávia Oliveira, presidente da UEE-SP na qual ela diz que “Lula é um ícone para o nosso país” – sem se referir às mulheres.

    No Facebook do PT de Osasco, as hashtags de convocação para o Dia 8 de Março também não mencionam as mulheres. Dizem apenas: “#GolpeNuncaMais”, “#SomosDeLuta” e “#EstamosComLula”.

     

     

     

    SEM COMENTÁRIOS