Celestino tira cavaletes da pista e diz que prefeito foi autoritário

às: 13:12 , atualizado em 11 de setembro às: 16:27
220
0
Da Redação
celestino corredor
Geraldo Celestino (esq.) retira cavaletes no Corredor Cecap-Vila Galvão: “desrespeito à população”

O vereador Geraldo Celestino (PSDB) removeu na manhã desta terça (8) os cavaletes que obstruíam a passagem dos ônibus no recém-inaugurado Corredor Parque Cecap-Vila Galvão, em Guarulhos.

Celestino – líder da oposição à Prefeitura petista na Câmara Municipal – acusou o secretário de Transportes e Trânsito de Guarulhos, Atílio Pereira, de tentar retardar o início da de operação do novo corredor.

A Prefeitura oficialmente não se manifestou sobre a inauguração do Corredor e nem sobre os cavaletes, instalados no último fim de semana.

Celestino chamou de “desrespeitosa para com a população” a atitude do secretário, que alega falta de iluminação nas paradas de ônibus e alguns semáforos desligados para barrar o trânsito.

Ele escreveu em seu Facebook: “É uma atitude autoritária, e com o aval do sr. prefeito Sebastião Almeida, do PT”.

“É uma vergonha, não fazem nada para melhorar nossa cidade e tentam atrapalhar ainda mais a vida da população”, afirmou Celestino.

E acrescentou: “Que moral o secretário tem para falar em iluminação em pontos de ônibus? Me aponte quais os pontos de ônibus da cidade de responsabilidade da Prefeitura que têm iluminação. E quanto aos semáforos, cabe à Prefeitura efetuar a ligação dos mesmos”.

A Prefeitura de Guarulhos não se manifestou sobre o incidente. O Portal Público Online solicitou uma posição da Secretaria de Trânsito (STT) às 12h44. A resposta será publicada nesta edição.

BRIGA

Os cavaletes na pista do corredor são o último capítulo de uma longa série de divergências entre a Prefeitura e a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), do governo do Estado.

O trecho de 12,3 km do corredor Parque Cecap-Vila Galvão foi inaugurado no último 31 pelo governador Geraldo Alckmin, sem a presença do prefeito Sebastião Almeida ou de autoridades da Prefeitura.

Ele faz parte do Corredor Metrop0litano Guarulhos-São Paulo e liga o Terminal Taboão à Estação Tucuruvi, na Zona Norte paulistana.

A obra do trecho Cecap-Vila Galvão estava praticamente pronta desde o início do ano, e sua inauguração sofreu sucessivos adiamentos.

Segundo a Prefeitura, porque a EMTU teria deixado de lado alguns detalhes do projeto original, como a ciclovia (substituída por uma ciclofaixa) e a construção de um piscinão na Avenida Antônio de Souza.

Segundo a EMTU, porque a Prefeitura não cumpriu com sua parte nas obras combinadas,ou pediu alterações de última hora no projeto.

O impasse chegou ao auge no dia 18 de maio, quando a Prefeitura embargou as obras, que estavam na iminência de ser inauguradas.

O embargo só foi levantado um mês depois, no dia 22 de junho, após novas negociações entre a Prefeitura e a EMTU.

Dois meses depois, no entanto, a indefinição persistia, até que o governador decidiu inaugurar a obra, no dia 31 de agosto, sem a presença de autoridades municipais.

No dia seguinte, o deputado estadual guarulhense Alencar Santana (PT) acusou o Estado de ter inaugurado uma obra incompleta. “É uma vergonha”, disse.

Ele anunciou que irá convocar o presidente da EMTU, Joaquim Lopes, a explicar as obras do Corredor perante a Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado.

 

SEM COMENTÁRIOS